E eu, como posso ajudar?

O seu Centro, em parceria com todos os outros centros nacionais do grupo Sonae Sierra, associa-se à onda de pesar e solidariedade na sequência daquela que é uma das maiores tragédias que Portugal já enfrentou. Saiba aqui como pode ajudar.

No dia 18 de junho, Portugal e os portugueses despertaram para uma das maiores tragédias da sua história. Uma tragédia que, à medida que as horas foram avançando, se revelou ainda mais negra, ainda mais triste, ainda mais dolorosa. Os números, por si só, já diriam muito: 63 mortos, 136 feridos. Mais de 150 famílias desalojadas. Mais de 350 pessoas com apoio psicológico.

Mas os números são muito mais do que apenas números. São crianças, homens e mulheres. É o senhor Eugénio, um dos sobreviventes de Nodeirinho, lugar com pouco mais de 30 habitantes onde morreram 11 pessoas. É o senhor Manuel, que procurava desesperado pelo filho. É a dona Cacilda, que passou a noite toda a acartar água sozinha e agora chora a morte dos vizinhos. É o senhor Eduardo das Dores, que vivia na Rua da Alegria, mas não tinha sequer água para beber. É o homem sem nome que guardava o corpo da namorada, porque nada mais lhe restava. É Gonçalo Conceição, o bombeiro da corporação de Castanheira de Pêra, que depois de ter tentado salvar três pessoas que seguiam num carro que abalroou aquele onde seguia, acabou por se transformar na 63ª vítima mortal desta tragédia.

Foi na tarde de sábado, dia 17 de junho, que o fogo começou, em Escalos Fundeiros, no concelho de Pedrógão Grande, resultado de, segundo peritos, uma trovoada seca seguida e ventos cruzados fortes. As temperaturas elevadíssimas ditaram que, em pouco tempo, as chamas alastrassem para os concelhos de Figueiró dos Vinhos e Castanheira de Pêra, no distrito de Leiria. Pouco depois, o fogo entrava no distrito de Castelo Branco, pelo concelho da Sertã. Ao final da madrugada chegavam as primeiras notícias de vítimas mortais – um número que nunca mais parou de aumentar, numa noite sem fim. Pela manhã de domingo, 18 de junho, já os mortos ultrapassavam a meia centena. E a luz do dia, ainda que contrariada pelo fumo negro de um fogo que não dava trevas, permitia antever o que ninguém queria enfrentar: a devastação total.

Cerca de dois dias depois, e de acordo com a última atualização da Proteção Civil, a chamas perdem finalmente terreno. Mas ainda continuam ativas, pelas 19h de dia 19: além de Pedrógão Grande, existem quatro grandes fogos a lavrar nos distritos de Leiria, Coimbra e Castelo Branco, mobilizando um total de cerca de 2150 operacionais, 654 veículos e 16 meios aéreos.

“Sem nos esquecermos, concentremos agora a nossa bondade no essencial: prosseguir o combate em curso, manter e alargar de forma ativa e consequente a nossa solidariedade a quantos sofreram e ainda sofrem a tragédia, demonstrando que nos instantes mais difíceis da nossa vida como nação somos como um só. Por Portugal“, disse o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa. E, de facto, perante uma tragédia sem precedente, os portugueses uniram-se numa nunca vista vaga espontânea de solidariedade. Desdobraram-se em entregas nos quartéis de bombeiros, em ações de recolha de fundos, em chamadas para linhas solidárias… A pergunta “E eu, como posso ajudar?” tornou-se a frase mais escutada, de norte a sul do país.

Consciente de que não há medida para a dor que as pessoas e povoações mais diretamente atingidas enfrentam, o seu Centro, em parceria com todos os outros centros nacionais do grupo Sonae Sierra, associa-se à onda de pesar e solidariedade na sequência desta tragédia. Saiba aqui como pode ajudar. E se conhecer alguma iniciativa que não referimos aqui, contacte-nos através de mensagem privada no Facebook que trataremos de acrescentar aqui essa informação.

 

CONTAS SOLIDÁRIAS:

Cruz Vermelha Portuguesa: http://www.cruzvermelha.pt/ultimas-noticias/2566-2017-06-18-12-21-48.html

Cáritas Portuguesa: http://www.caritas.pt/site/nacional/index.php?option=com_content&view=article&id=4103:2017-06-18-16-52-44&catid=401:campanhas-nacionais&Itemid=7

União das Misericórdias Portuguesas: http://www.ump.pt/inicio/noticias/ump-apoiar-a-populacao-afetada-pelo-incendio-de-pedrogao-grande

Montepio Geral: https://www.montepio.pt/…/apoio-bombeiros-vitimas-incendios…

Caixa Geral de Depósitos: https://www.cgd.pt/…/…/Pages/Unidos-por-Pedrogao-Grande.aspx

Novo Banco: https://www.novobanco.pt/site/cms.aspx?labelid=pedrogaogrande

Millenium BCP: http://ind.millenniumbcp.pt/pt/Particulares/Pages/apoio-vitimas-incendios-pedrogao.aspx?hp-part-b1

 

CROWDFUNDING:

PPL Causas Crowdfunding (iniciativa organizada por Sérgio Gonçalves e Tiago Cação): https://ppl.com.pt/pt/causas/ajuda-pedrogao

JustGiving Crowdfunding (iniciativa organizada por António Honório e Gonçalo Cascais): https://www.justgiving.com/crowdfunding/pedrogao-grande

 

LINHAS SOLIDÁRIAS:

SIC – Um Abraço a Portugal – 760 100 100 (contribui-se com 50 cêntimos – preço/chamada: 0,60€+IVA)

RTP – 760 200 600 (contribui-se com 50 cêntimos – preço/chamada: 0,60€+IVA). O canal público disponibiliza também a conta solidária IBAN PT 50 0035 0001 00100000330 42

DOAÇÃO DE BENS:

Depois da vaga da vaga inicial de solidariedade, a ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa, e o presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses, Jaime Marta Soares, apelaram à suspensão, temporária, da entrega de bens alimentares e medicamentos, por impossibilidades de armazenamento. Ainda assim, de norte a sul do país, quartéis de bombeiros voluntários continuam a receber água e bens alimentares e a procurarem fazê-los chegar, da melhor forma, a Pombal – onde está agora um novo centro operacional, responsável pela distribuição destas doações, sem sobrecarregar o centro de Pedrógão Grande. Além dos alimentos, começam também a organizar-se recolhas de outros bens, sobretudo roupas e produtos de higiene.

Quartéis de Bombeiros Voluntários – sugerimos que contacte o quartel da sua região para esclarecer as necessidades específicas, uma vez que estas vão mudando de acordo com os desenvolvimentos.

Cáritas Portuguesa – a associação, além da conta que disponibilizou, pede lençóis e cobertores de Verão, atoalhados e roupa de criança, sublinhando, no entanto, que, porque esta é uma resposta de emergência, não há condições para se fazer qualquer tipo de triagem e portanto todos os bens devem estar em condições de utilização imediata.

 

ESPETÁCULOS DE SOLIDARIEDADE:

Meo Arena – Pelo menos duas dezenas de artistas – entre os quais os já confirmados Salvador Sobral, Rui Veloso, Ana Moura e Carminho – vão subir ao palco da Meo Arena para um concerto organizado pela Sons em Trânsito. As receitas deste espetáculo revertem na totalidade para o apoio às vítimas do incêndio em Pedrógão Grande e para a reconstrução das áreas afetadas.

Teatro José Lúcio – O leiriense David Fonseca, a Orquestra Jazz de Leiria, a Academia de Ballet e Dança – Annarella, a Omnichord Records, a Samp Pousos, o Orfeão de Leiria Conservatório de Arte e a Fade In – Associação de Ação Cultural sobem ao palco deste teatro de Leiria, no próximo dia 24 de junho, às 21h30. Os bilhetes custam 15 euros, valor que reverte para as vítimas deste incêndio.

 

AJUDA AOS ANIMAIS

Aqui pode encontrar uma plataforma de Crowdfunding para a ajuda dos animais da região.

Os voluntários do Canil e Gatil do Seixal também estão a aceitar doações de bens para ajudar os animais afetados. Os bens podem ser entregues no EdenVet em Fernão Ferro até ao final do dia 22 de junho.

Partilhar