ZU: 5 cuidados a ter no verão com os amigos de quatro patas

Este verão cuide do seu amigo de quatro patas com os conselhos da ZU do nosso Centro.

Estamos no mês mais quente do ano e adotamos alguns hábitos diários para nos protegermos do calor: bebemos mais água, vestimos roupas mais leves, usamos chapéu e protetor solar… Se nós precisamos de nos readaptar, os nossos animais de estimação também precisam de alguns cuidados extra.

Ninguém melhor para nos ajudar do que os profissionais da ZU, que nos deixaram cinco grandes conselhos para pormos em prática dentro e fora de casa. Ora leia.

1. Verifique as vacinas

Em primeiro lugar, verifique junto do seu médico veterinário, se as vacinas estão atualizadas e se são as necessárias para a zona geográfica onde vai passar férias. Na ZU criámos um pacote de saúde específico para férias, que está acessível a todos os animais que são portadores do nosso plano de saúde anual Health Box e que vai ajudar a tornar esta tarefa mais fácil e sem preocupações.

2. Transporte-os em segurança

Caso vá de carro, tenha em consideração a legislação que regula o transporte de animais em viaturas automóveis. Note que no carro os animais devem ir sempre em caixas de contenção de tamanho adequado ao animal a transportar e não podem nunca estar livres no habitáculo. É de realçar que, se o animal tem historial de enjoo ao andar de carro, deve procurar a opinião do seu médico veterinário quanto ao medicamente mais adequado para tomar antes da viagem.

 

3. Faça paragens e não o deixe sozinho no carro

Nas aconselhadas paragens, a cada duas horas, deve retirar o animal do carro, passeá-lo um pouco e permitir que ele faça as suas necessidades e beba água. Como habitualmente nestas alturas o calor aperta, é absolutamente essencial que nunca deixe o animal sozinho dentro do veículo, mesmo que seja por pouco tempo, com uma janela aberta e/ou à sombra. A combinação das altas temperaturas com a falta de circulação de ar, provoca nos animais um golpe de calor que pode ser fatal em poucos minutos.

4. Tenha atenção às piscinas e ao sol

As piscinas representam outro dos potenciais perigos para os animais que não estejam habituados, principalmente as que só têm escadas de metal. Muitas vezes, este tipo de piscina leva a casos de afogamento por cansaço, pelo facto do animal não conseguir sair.

Relativamente à exposição solar, tal como nós, o sol pode também ser um fator de risco provocando queimaduras graves, golpes de calor e desidratação. Desta forma, garanta sempre a possibilidade do seu animal poder escolher uma zona de sombra e com água fresca disponível e em abundância. O uso de protetores solares pode ser justificável, sobretudo em animais que tenham o pelo mais claro e curto – neste tipo de casos, as soluções oleosas, podem ser uma melhor opção em comparação com os cremes. É importante destacar que é essencial que a proteção seja de fator 50, principalmente na extremidade das orelhas e nariz, onde se deve massajar bem para possibilitar a sua penetração.

5. Proteja-o contra os mosquitos

O uso de repelentes de mosquitos, como certas coleiras, em determinadas zonas do país, podem ter uma maior importância, nomeadamente na ajuda à prevenção da leishmaniose. Assim, deve visitar o seu médico veterinário antes da viagem, informando-o da zona para onde irá levar o seu animal. De facto, existem algumas zonas mesmo dentro do nosso país que podem ter doenças para as quais o seu animal pode não estar protegido. Desta forma, o médico veterinário verificará o seu estado de saúde e, seguramente, dar-lhe-á de forma mais detalhada os melhores conselhos.

Categorias
Família
Partilhar

Tudo o que precisa num único espaço